09/05/2011

Rouquidão: a voz rouca pode ser indício de problemas sérios

A voz rouca pode ser sinônimo de sensualidade, mas as causas desse tipo de timbre de voz não são nenhum charme. A alteração de voz para um timbre mais rouco é, na maioria das vezes, causada por complicações decorrentes de um quadro gripal. Mas a rouquidão pode indicar quadros mais graves, incluindo o câncer de laringe.


“Quando temos gripe há a obstrução do nariz e, com isso, ocorre uma sobrecarga no uso da voz. Nesses casos de rouquidão, o que acontece é que as pregas vocais podem ficar edemaciadas [desenvolvem um edema] que, idealmente, deve reverter até dez dias após o final da gripe”, explica Juliana Algodoal, fonoaudióloga e membro da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia.

Quando o quadro de rouquidão ultrapassa as duas semanas, o ideal então é procurar um médico otorrinolaringologista ou um fonoaudiólogo para analisar o que pode estar ocorrendo. A insistência dessa disfonia pode ser indicativo do início de um problema grave: o câncer de laringe.

“O Brasil é o segundo país em incidência desse tipo de câncer, só superado pela Índia. Por isso é preciso muita atenção por parte das pessoas com essa rouquidão que ultrapassa o período de tempo sem remissão, ou seja, sem que a voz volte ao normal. Mas se a voz volta ao normal, mesmo que depois de algum tempo, e a rouquidão volta, o problema também pode ser outro: a rouquidão crônica”, diz Juliana.

Profissionais da voz também podem desenvolver a rouquidão crônica

A rouquidão crônica – ou disfonia, no seu nome técnico – é algo comum para alguns profissionais chamados “da voz”. Entre aqueles que mais têm problemas com isso estão os professores – que por falta de equipamento adequado para enfrentar classes grandes com alunos competindo pela atenção são obrigados a levantar a voz – e os teleoperadores (operadores de telemarketing), cujas intermináveis listas de ofertas ou reclamações fazem a pausa para o silêncio ser algo raro. Além desses, os cantores e os atores de teatro também sofrem com o problema.

“Aproximadamente 25% dos professores têm problemas de voz e são afastados do trabalho por causa da rouquidão crônica. Nesses casos surgem nódulos nas pregas vocais – os populares ‘calos’ – que só vão desaparecer caso haja um acompanhamento profissional e uma terapia fonoaudiológica de um especialista de voz. Em três meses é possível reverter o quadro”, lembra Juliana.

Rouquidão infantil e congênita

Outro quadro bastante comum, diz a especialista, são as crianças com a voz rouca. Descartado o quadro gripal, algumas causas podem ser inicialmente apontadas. Se a criança faz uso excessivo da voz, ou seja, se grita demasiadamente durante as brincadeiras, tenta fazer imitações de vozes além do seu timbre ou simplesmente fala mais alto do que o normal (muitas vezes por imitação de familiares, por exemplo) a voz rouca vai ser companhia constante.

Mas algumas exceções podem ser feitas àquelas crianças com a chamada rouquidão congênita. São crianças que nasceram com alterações estruturais mínimas em uma ou nas duas pregas vocais e que geram essa voz mais rouca – um timbre que muitas vezes não ultrapassa a adolescência, mas que em alguns casos pode chegar à idade adulta.

“Indivíduos com essa rouquidão congênita precisam aprender a lidar com a própria voz, senão podem sobrecarregar o seu uso para se fazer entender. Para isso há diversas terapias fonoaudiológicas com a finalidade de orientar no melhor uso da voz por essas pessoas, evitando os nódulos vocais, por exemplo”, finaliza a especialista.



Fonte: O que eu tenho?

TAGS: gripe voz rouca rouquidão voz

Comentários (3)

Sirlane
Sirlane Criado em 26/02/2014, 11:27h

Gostei muito da das informações sobre voz rouca, pois eu canto e quase sempre fico assim...


Sirlane
Sirlane Criado em 26/02/2014, 11:28h

Eu canto e quase sempre tô com a voz rouca


Marcia Oliveira
Marcia Oliveira Criado em 19/03/2014, 09:42h

Sou professora e minha voz já está cansada, fraca e rouca, fiz exame há 2 anos e constatou cisto nas pregas vocais, rinite crônica e disfonia orgânica, sinto dores constantes na garganta e tenho um pouco de dificuldade em engolir o alimento, me afastei da sala de aula por 1 ano, retornei e começo a sentir tudo de novo seria melhor um afastamento a longo prazo? O que faço?


Acompanhe o Enfermagem e Saúde